quarta-feira, junho 10, 2009


A quanto tempo não prego os olhos, tentando não perder todas as coisas que vão passando?! Me esforço para parecer competente ou no mínimo diferente e importante no meio de tantas pessoas que se consideram acima da lei do bom senso. Parece que uma pandemia invadiu todos cantos do planeta, semeando a doença do ego exacerbado, onde tudo que reluz pertence aos "bons" e tudo que é fosco fica com a ralé.
Eu, andando por ai com os olhos lacrimejando de sono, confundo as pessoas com minhas lágrimas involuntárias. Simplesmente ardem os olhos, seus falastrões! Para onde olho vem em minha direção uma ventania de poeira impiedosa. Quase cego ainda não desisto de propor ao mundo os meus pensamentos de insatisfação com toda essa sugeira nas ruas.
O que nos faz acreditar que precisamos de um lugar para alcançar? O que dá o poder de julgamento? Eu gostaria de ser uma bola de luz a vagar pelo universo, sem me preocupar com minhas roupas de segunda, nem com meus dentes mal escovados, nem com os cabelos despenteados, ou com a hora do almoço. Não queria ter que explicar nada a ninguém, nem ouvir o que gostariam que eu fizesse. Isso é rebeldia? Que seja! Cansei dessas caras de quadrado que me rodeiam, dessa incompreensão que nos assola e da vida que as pessoas levam. Vai ver é a maior maluquice acreditar que isso tudo pode mudar, mas mesmo cego de sono sinto essa esperança no ser verdadeiro, o filho da Terra. Aquele que sabe quem são seus irmãos.
Tudo vai ser mais simples, mais acessível e compartilhado. Que tolo sou eu!
Sei que a qualquer momento tudo vai explodir em milhões de partículas. Mas que sentido teria? Vai demorar ainda a chegar! Para onde eu estava indo mesmo? Acho que fiquei cego de vez. Ou então acabei dormindo sem perceber em algum canto dessa cidade empoeirada. Será isso então um sonho? Pois não vejo a hora de acordar para ver o que está acontecendo no mundo real. Mas será que alguém sabe?
Alguém aí pode me dizer?
Aonde vão seus filhos?
O que vocês os ensinam?
Como querem o seu bife?
Existem contas a serem pagas?
A quem você paga?
Quem fica na crista da onda?
São perguntas que me atormentam mais do que as do tipo: "qual o meu destino?", "deus existe?"! No momento tenho percebido que perguntas muito simples não me são respondidas. Noto também que não somente eu as tenho pensado desesperadamente. Está todo mundo mudo e eu cego. Não podem me falar o caminho, nem apontá-lo, nem me conduzir por ele, pois estão muito distantes. Por isso temos pesadelos a noite. Pobres de nós!


[ToN]

2 comentários:

Tanara disse...

Bem, digo sim... rs
Mas nada de mais...

Ás vezes me dou a oportunidade de sentir mais e pensar menos, ainda que ambos, de algum modo, façam doer...

;]

Anônimo disse...

muitas e muitas figurinhas...irado isso aqui heim!!!!
bjs