quarta-feira, julho 29, 2009

Espasmos da alma

Em todos os passos andados
existem palavras cansadas
cheias de talvezes e premissas.
Passeatas aos deuses
do amor e dos silogismos,
a fim de eternizar os paradoxos
ou de destruir o passado moribundo.
Viva a inquietude da alma,
a ressaca do espírito,
a conquista do hoje pelo ontem,
que se foi
sem saber se deve
que se vai
sem dizer adeus!
É o que torna algoz
os desejos infiltrados
em cada sonho.
É o que torna lívida
a metamorfoze do mundo.
Irônico!?
Para quê queremos um mundo?

2 comentários:

Ricardo Aiolfi disse...

Mudaremos então!

Thiara Pagani disse...

Queremos o mundo, ou queremos ser parte dele?
Existem essa spalavras cansadas a em mim, dos apssos andados... Elas pesam...