quarta-feira, setembro 08, 2010

claro volto

Claro que me orgulho
quando entro no boteco
todos mudam de mesa
fazem do silêncio novidade
e eu só penso em pedir
algo mais forte
Uma vodca, por favor
com ela eu me dou bem
nem dor de cabeça
nem ressaca
nem essa vontade
de chutar a távola hipócrita
cheia de analíticos clínicos
que te observam
catalogam...
ah, primeiro gole de euforia
um dia apresento-lhes
a incrível loja de fast feelings
fiquei na hora
do jeito que queria
Uma dose de ignorância
pra esse cara aqui do lado
isso ele já tem de sobra
mas quem sabe ele vomita
no pé da porta de entrada
dito e feito
todos assistem agora ele
já sou mera figuração
sou da mesa dos que mais riem
precisava mesmo
dessa noite turbulenta
agora mais me orgulho
de ser quem sou
pois na barraca de fast feelings
eu só vou de vez em quando
enquanto ele fica mudo
só tentando se convencer
mas que besteira
escrevo tudo depois
só pra não esquecer
sou um peixe
que segue a corrente
ou contra ela teima em ir
única conclusão que tive
nem vocação pra conversa agradável
esse povo tem aqui
tem gente que salva
mas daí a gente some
vai pra praia
ver violão
e tocar o mar
quando mergulho
nem da vontade de voltar

Um comentário:

Isabela Bimbatto disse...

Nooossa! Fiquei sem elogios, bixo! Bom de mais!!!
Super parabéns, Tonzito!