quinta-feira, setembro 16, 2010

tomei parte do coração

Cheio de xilocaina na visão
divaga sem panela pra fazer feijão
Não vá mais atrás dela sem levar
cajado-jorra-amor de filme de ficção
Crava-lo na bandeja filha única
team master de fazer lipoaspiração
Inspira toda atmosfera tetra-cão
Na sua mortadela morte é só
tempeiro dela vívido de sensação

Para pé pois é hora de mandar cartas
Já é folga terra viva que me escorro
para saciar a sua sede deito morno
Ouço quase você pensar que me quer
na levada da sorte vou com a maré
sopro, solto, largo e volta
no sentido anti-horário
que é pra ficar mais legal
superstição de doido é confusão normal
fizeram parecer que é só ilusão
amor, você me renova, liberta
minha convicção
estoura essa cota de migalha
que disseram ser moderna
é o microsser-renovante
roendo a nossa perda
poroso, civilizante, cheio de balela

Só quero deitar nu mar da praia
sentir a ondulação
debaixo da sua saia
amar todo espaço escondidinho
falar coisas bonitas
adormecer no seu carinho
depois o nosso amor vai revolucionar
planar sobre o céu
enche-lo de arte a harmonizar
a fonte de onde vou ficar
com você
com vocês
que são todos meu par

2 comentários:

Isabela Bimbatto disse...

Puta pitchulismo foda Ton!! Acho que você sacou a parada, haha.

Tônico disse...

hahaha
vou entrar pro movimento, hein!!!